Ação Jovem Eldorado 2010











{2 de março de 2010}   Alimentos desidratados

Práticos e nutritivos. Eles vêm se tornando uma alternativa nos dias atuais: são baratos, fáceis de transportar e ainda mantêm as propriedades nutricionais originais. Mas será que isso é suficiente para garantir uma dieta saudável? Os alimentos desidratados são resultado de uma técnica milenar utilizada para conservação. Funciona assim: tanto a desidratação quanto a secagem é realizada, primeiro, com o aumento da temperatura do produto, o que força a evaporação da água contida em sua composição. Quando isso ocorre, a umidade evaporada é removida graças à circulação do ar. Entre as principais vantagens de frutas,verduras e legumes desidratados estão a grande redução de peso e volume dos mesmos, a facilidade de transporte e armazenamento – pois não necessitam de refrigeração – e a compatibilidade com outros ingredientes. Sopas instantâneas com vegetais desidratados, sucos de frutas em pó, frutas desidratadas, tomate seco e cápsulas de mandioca estão entre as opções mais consumidas pelos brasileiros. Comida em pó ‘Farelos, sementes e casca de ovo triturada são tão nutritivos quanto um prato cheio de legumes. ‘A afirmação é de especialistas que defendem a ingestão de alimentos desidratados para a manutenção de uma dieta equilibrada. Para esses profissionais, o consumo de quantidades razoáveis de vitaminas, proteínas e carboidratos é possível, sem ter de devorar uma salada de jiló e berinjela. É impressionante o valor nutricional desses alimentos’, afirma Themis Dovera, nutricionista e docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). ‘Quando analisamos o abacaxi desidratado chegamos a uma fonte de bromelina concentrada’, continua. A bromelina é uma enzima que ajuda na digestão e no emagrecimento. Às vezes, não é o legume propriamente dito que é aproveitado, mas as suas folhas. No caso da mandioca e da batata-doce, por exemplo, as folhas – que são desidradatas e usadas na produção de cápsulas – são ricas emvitaminas A e C. Algumas pitadas nas refeições diárias garantem o dobro da quantidade nutricional de um legume fresco ou cozido. As cascas das frutas, que são aproveitadas no processo de desidratação, concentram mais micronutrientes, como ferro, cálcio e potássio, do que as polpas. Poder concentrado A pectina – encontrada nas frutas, nos vegetais, nos farelos de aveia e nas leguminosas – é preservada na desidratação e é uma importante aliada na dieta porque, em contato com o organismo, se transforma em um gel que dificulta a absorção de carboidratos e, conseqüentemente, de açúcares. ‘Alguns nutrientes dos alimentos podem até ser potencializados durante o processo de desidratação’, completa a nutricionista Cynthia Antonaccio, mestre pela Universidade de São Paulo e consultora nutricional. Ela se refere ao licopeno, substância do tomate, que é otimizado com o aquecimento e atua como um potente antioxidante, que protege da ação dos radicais livres na célula e auxilia na redução do colesterol. ‘Não há dúvida que os desidratados são uma ótima maneira de variar as cores do prato. Por isso, podem auxiliar no aumento do consumo diário de vegetais e, de quebra, aumentar o bem-estar e manter a forma’ continua. Nas prateleiras dos supermercados, há várias alimentos que podem ser usados com segurança, como leite em pó, batatas desidratadas, frutas e verduras secas, ervas, carnes-secas(como charque), sopas e temperos em pó,barras de cereais com frutas secas, maçã desidratada crocante e tomate seco em conserva. Como não precisam de refrigeração para armazenamento ou transporte, os desidratados representam uma opção viável e disponível para se consumir diversos nutrientes. Eles podem ser levados na bolsa para qualquer lugar ou ficar guardados por vários dias na gaveta. Já a sopa instantânea de pacote, que exige apenas a mistura de água quente para reidratar, garante um lanche gostoso e de preparação rápida. A facilidade de manuseio e a praticidade são argumentos mais que convincentes para aqueles que, por falta de tempo ou de vontade, não comem verduras, legumes e frutas suficientes. Quantidade moderada Mas essa praticidade leva muitos profissionais a considerarem o alimentodesidratado até um risco para quem precisaemagrecer. ‘Tudo que é picadinho, levinho e cabe no bolso pode ser uma excelente alternativa, mas também às vezes gera consumo abusivo,’ alerta Themis Dovera. As frutas desidratadas equivalem, em média, a apenas 18% do seu peso original e alguns vegetais têm o peso reduzido em até 90%. Mas,’vale lembrar que os alimentos desidratados têm uma maior densidade energética, ou seja,apresentam mais concentração de calorias emseu volume’, diz Mariana Del Bosco Rodrigues,nutricionista do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. ‘Está errado afirmar que 100 g de frutas secas equivalem a 100 g de frutas in natura em termos calóricos’, ensina Themis. ‘Para você ter certeza do valor calórico do desidratado, multiplique por três vezes o valor calórico do alimento fresco.’ Por exemplo: uma maçã de 100 g tem em média 40 calorias, enquanto a mesma quantidade da desidratada terá 120 calorias. Assim, moderação também vale aqui. Para fugir de frituras, massas e doces, as frutas desidratadas são opções interessantes. Só não exagere na dose, pois elas também têm calorias e engordam. Trocas saudáveis  SUBSTITUTOS: shakes, sopas desidratadas, Whey Protein e omelete em pó. Têm quantidades calórica e nutricional adequadas. No entanto esses alimentos desidratados podem ser usados para substituir almoço ou jantar por períodos curtos (um a dois meses).  COMPLEMENTARES: frutas, legumes, verduras e temperos. Devem ser usados sempre como coadjuvantes das refeições. Exemplos: pó de maracujá, pó da folha da goiaba(antidiarréico), pó da polpa da maçã (auxilia no emagrecimento), mix de frutas secas (rico em selênio, magnésio e silício), pó da couve (ótimo para dores articulares), cebola emflocos e alho em pó (ricos em alicina para melhorar a coagulação sangüínea), pó da cascado ovo (cálcio), pó de gergelim (fonte de cálcio 200 vezes mais potente que o leite), pó de linhaça (contém ômega 6antiinflamatório). Tudo que ha par saber sobre os alimentos desidratados Os produtos desidratados, como as sopas em pó, estão a cativar cada vez mais a atenção dos consumidores. O facto de serem de preparação rápida e apresentarem a vantagem de preservarem todos os nutrientes dos produtos frescos faz com que invadam as prateleiras dos supermercados e estejam cada vez mais presentes na mesa dos portugueses. Muito se fala de alimentos desidratados, mas a verdade é só uma: o processo de desidratação que consegue transformar, por exemplo, os hortícolas e legumes em sopa em pó, é tão natural que até os fenícios, séculos antes da nossa era, o utilizavam com o objectivo de conservarem os alimentos ao longo das estações. Nós próprios, sem nos apercebermos, usamos todos os dias, desde o tempo das nossas avós, inúmeros alimentos que passam por processos semelhantes sem quaisquer restrições. O que não falta são exemplos de ingredientes dos quais retiramos a água para ficarem secos e poderem durar mais tempo sem precisarem de conservantes. É o caso do feijão e do grão-de-bico que temos de demolhar antes de cozinhar, dos figos secos, do louro ou dos orégãos para temperar, dos chás de ervas, do queijo, das uvas que transformamos em passas, do bacalhau… A SAÚDE QUE VEM DOS ALIMENTOS DESIDRATADOS Na verdade, podem ser usados dois tipos de processos de desidratação. Os nomes são pomposos mas a sua concretização é muito simples. No método clássico, os ingredientes são colocados num desidratador, onde ondas de ar aquecidas drenam toda a sua água. Na liofilização, os alimentos são congelados e em seguida é-lhes retirada a água. Depois de secos, basta cortá-los aos bocadinhos e triturá-los até ficarem em pó. Trata-se assim de métodos pouco agressivos que não alteram a estrutura dos alimentos, retendo a maior parte do seu conteúdo nutricional. No caso dos hortícolas e legumes, que dão origem às sopas em pó, consegue-se manter quase 100% das suas vitaminas e minerais. Mas ainda há mais evidências de que os desidratados são sinónimo de uma saúde de ferro. De certo já ouviu dizer que em Portugal existe tradicionalmente uma tendência para se colocar sal a mais nos alimentos durante a sua confecção. Embora a Organização Mundial de Saúde alerte que por dia não devemos ir além dos seis gramas, muitas vezes colocamos mais do que isso num único prato. Todavia, esta questão não se coloca quando se fala dos alimentos desidratados! A pensar no seu bem-estar, eles são controlados industrialmente para que não se ultrapasse a porção correcta por dose – e não se recomenda que em casa se adicione mais sal ao preparado. Os alimentos desidratados podem ser integrados numa alimentação saudável e equilibrada. Na verdade, adaptam-se perfeitamente aos novos tempos, uma vez que revelam grande interesse nutricional, ao mesmo tempo que se podem preparar, na maioria dos casos, em poucos minutos.

Muitas Vantagens

Alimento desidratado é nutritivo (com a perda da água, o valor alimentício do produto concentra-se). O alimento desidratado é leve, compacto, fácil de transportar, além de manter o sabor inalterado, uma vez que é praticamente impossível a proliferação de microorganismos onde não há água nem oxigênio.
 
Presença indispensável em qualquer cozinhado que se prezem, as especiarias servem para muito mais do que apenas enriquecer o paladar dos alimentos. Quase todas, se usadas comedidamente, contribuem para a saúde.

As virtudes terapêuticas das especiarias são exaltadas desde tempos muito recuados, tendo sido utilizadas pelos médicos e físicos para curar todo o tipo de doenças. Atualmente, sabe-se que muitas especiarias e ervas aromáticas contribuem para facilitar a digestão e a assimilação dos alimentos pelo nosso corpo.

Muitas vezes ao sentirmos o aroma de um prato confeccionado sentimos crescer “água na boca”, ou seja, o nosso organismo desencadeia os primeiros passos para a digestão.

Fonte: http://cybercook.terra.com.br
       http://www.noticiasdeviseu.com/
       http://www.mundoeducacao.com.br/
       http://www.companhiadecanoagem.com.br/desidratados.htm
       http://activa.aeiou.pt/
       http://www.netconsumo.com/2009/05/alimentos-desidratados-mantem-vitaminas.html
       http://temperoseespeciarias.blogspot.com/2009/02/as-vantagens-dos-alimentos-desidratados.html



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

et cetera
%d blogueiros gostam disto: